Atitude criminosa no trânsito, em frente à unidade escolar infantil em Blumenau

Mães e professoras de crianças de uma creche particular, localizada na Rua Ipiranga, no bairro Garcia, em Blumenau, tomaram um tremendo susto na noite desta quarta-feira (12), por conta atitude insana de um homem, que estava conduzindo um Chevrolet Vectra, prata, placa KQZ-7G04 e que colidiu em pelo menos três veículos, dois deles estacionados. Ele causou as colisões e ainda voltou tentando bater mais uma vez nos carros.

Em um Ford Ka, estava uma jornalista, mãe com duas crianças (de 2 e 4 anos), que foi perseguida durante alguns metros pelo Vectra, que estava em alta velocidade e acabou atingindo o carro conduzido por ela. Ela parou seu carro para acionar a Guarda Municipal de Trânsito (GMT) e também a Polícia Militar (PM), momento em que o motorista do Vectra voltou e tentou colidir novamente. “Eu fiquei muito assustada, a única atitude que tive, foi me jogar para cima das crianças para protegê-las.” disse Daiele Tusi.

>> Curta o Mesorregional no Facebook
>> Siga o Mesorregional no Twitter
>> Entre no canal do Mesorregional no Telegram
>> Converse com o Mesorregional pelo WhatsApp
>> Acompanhe o Mesorregional no Instagram
>> Inscreva-se em nosso canal do YouTube

Segundo as mães das crianças, ao ser acionada, a GMT informou que não iria até o local por não haver vítima de fato, já no primeiro momento, já a PM também informou que não iria até o local, por que situações relacionadas ao trânsito são de responsabilidade da GMT. “Em pleno maio amarelo, passar por uma situação dessas e ficar sem assistência é decepcionante. Eu fiquei muito assustada, principalmente por que nos últimos dias ocorreram dois ataques em escolas, com vítimas fatais, eu fiquei apavorada, pensado que poderia ser algo semelhante acontecendo aqui, por isso me joguei sobre meus filhos.” desabafou Daiele.

A diretora da unidade escolar, Silvana Riewes diz que o local é calmo, mas que a situação realmente assustou. “Após bater no primeiro carro, ele ainda voltou em alta velocidade, causou mais duas colisões e fez manobras perigosas e por muito pouco não atingiu duas senhoras que estavam na calçada.” Com relação aos chamados de socorro, a diretora ainda relata que “a única resposta da Guarda de Trânsito foi para fazer BO no outro dia…. não houve amparo da Polícia Militar, só pediram para acionar a Guarda.” lamentou Silvana.

“A gente percebe que cotidianamente fica uma viatura da PM num posto de combustível aqui perto, mas não houve agilidade no atendimento.” frisa a diretora, que informou que ainda fará Boletim de Ocorrência sobre a situação. Elas suspeitam que o motorista do Vectra tenha saído de um bar, que fica quase em frente á unidade de educação infantil. As vítimas ainda ficaram sem entender o motivo dos policiais que foram até o local – após outros chamados – não colocam no registro da ocorrência os danos e a identificação de todos os veículos envolvidos, o que exige que as próprias vítimas tenha que se deslocar até a sede da GMT para isso.

Há revolta por parte das vítimas, pela ausência de atendimento, tanto por parte da PM, quanto da GMT, já que tanto a mãe que estava com crianças no trânsito quando foi atingida, quanto da diretora, que presenciou toda a situação de risco no local, sendo que a PM só mobilizou viaturas após outros chamados, efetuados inclusive por terceiros e outras testemunhas.

Até a manhã desta quinta-feira (13) o veículo não foi localizado.

Respostas das Agências

A Guarda Municipal de Trânsito informou que não comparece mais em acidentes de trânsito em que não há vítimas, salvo exceções como a suspeita de embriaguez ao volante e como o possível embriagado fugiu do local com o carro a única indicação é a confecção de Boletim de Ocorrência junto à Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte (antigo Seterb).

Já a Polícia Militar, informou que o atendimento seria imediato caso as vítimas tivessem relatado mais detalhes, “informando que não se tratava de um acidente, mas sim um ato de violência, utilizando-se do carro como instrumento de agressão”. A PM ainda frisou que desde fevereiro vem reforçando a presença de viaturas em ambientes escolares na cidade, mas que são muitas as unidades e há um limite operacional, o que inviabiliza a presença em todas elas.

Fotos: Reprodução / WhatsApp

error: Conteúdo Protegido !!