Jean Kuhlmann e Raimundo Colombo são citados em processo da Lava Jato além de outros quatro políticos blumenauenses

No último dia 4 o ministro Edson Fachin, relator do processo da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF) além de mandar investigar 98 políticos em 74 inquéritos, incluindo quatro políticos de Blumenau, também deu sequencia aos casos de outros nomes citados nas delações de ex-executivos do grupo Odebrecht para serem investigados em outras instâncias do judiciário.

O governador Raimundo Colombo (PSD), a ex-senadora Ideli Salvatti (PT), o deputado Jean Kuhlmann (PSD) e outros três políticos de Santa Catarina, incluindo outro político do Vale do Itajaí, o ex-prefeito de Navegantes, Roberto Carlos de Souza (PSDB). A Procuradoria-Geral da República (PGR) não fez juízo de valor dessas denúncias. A petição que cita Colombo foi encaminhada ao Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Contra Jean Kuhlmann pesa uma delação em que há afirmação de que o parlamentar teria recebido R$ 65,6 mil no ano de 2004, quando era vereador, para facilitar o recebimento de faturas de serviços prestados e não pagos. Além disso uma citação afirma que ele teria recebido R$ 50 mil por meio de caixa 2 para campanha a prefeito em 2012. Se cosa foi caso remetido ao Tribunal Regional Federal da 4a Região, com sede em Porto Alegre, por ser deputado estadual.

Em entrevista a Radio Nereu Ramos na manhã de hoje Kuhlmann afirmou que não conhece o delator e que não recebeu nenhum valor irregular em suas campanhas eleitorais. “Eu não conheço os teores dessa citação, e quero dizer que fico muito triste com isso, porque não sei sequer quem citou meu nome e nunca recebi nada nesse teor… nunca tive relação nenhuma com a Obebrecht, e vou conseguir provar que são mentiras, porque eu sempre trabalhei em prol da cidade e não tenho envolvimento com essa questão.” desabafou Kuhlmann afirmando que confia na justiça.

Ideli Salvatti e o ex-prefeito de Joinville, Carlito Merss (PT), os ex-prefeitos Jaison Cardoso de Souza (PSDB), de Imbituba, que também foram citados terão os casos analisados na Justiça Federal em Santa Catarina (primeira instância), por não ter a prerrogativa do foro privilegiado.

 

Veja abaixo a Nota Oficial emitida pelo deputado estadual Jean Kuhlmann

“Recebo com surpresa a informação de que meu nome consta em petição remetida para o 4º TRF, referente às investigações divulgadas nesta terça-feira pelo Supremo Tribunal Federal.
Jamais tratei de qualquer assunto relacionado a campanhas eleitorais, e sobretudo recursos para campanhas, com empregados e executivos e empresas citadas, tampouco conheço qualquer um deles.
Minhas contas eleitorais sempre foram aprovadas e apresentadas dentro do rigor que exige a Justiça Eleitoral, e dentro da transparência pela qual sempre pautei minha trajetória.
Confio no bom trabalho da Justiça, e tenho certeza que as investigações irão mostrar a verdade dos fatos. Meu maior interesse é que toda essa situação seja esclarecida, o quanto antes.

Jean Kuhlmann – Deputado Estadual”

error: Conteúdo Protegido !!