Número de homicídios em Blumenau é o maior da história em um ano

2017 ainda não chegou ao fim e Blumenau já registra o maior número de homicídios ocorrido num mesmo ano. Até este dia 23 de outubro, há registro de 36 assassinatos na cidade. Somente no último final de semana, foram registrados 3 atos violentos que resultaram na morte de dois homens e uma mulher. Foi um cadáver encontrado no bairro Progresso, o caso de um homem espancado até a morte no bairro Testo Salto e uma barbárie que chocou o Vale do Itajaí, por conta de violência doméstica.

O primeiro caso, foi o encontro de um corpo, já em estado de decomposição, no Parque das Nascentes, no bairro Progresso, no início da manhã de sábado (21). O cadáver foi encaminhado ao Instituto Médico Legal que em necropsia identificou a vítima e contatou que Julio Cesar Wirth, de 57 anos, foi morto por conta de um tiro de arma de fogo que atingiu sua cabeça. Depois de todos os procedimentos legais e identificação, o corpo foi liberado aos familiares e sepultado no Cemitério São José.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Entre no no canal do Notícias Vale do Itajaí no Telegram
>> Acompanhe o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

No início da tarde do mesmo dia, Jovane Pinheiro, de 28 anos, que estava na sua casa, localizada na Rua Valmir Ferreira da Silva, no Testo Salto, foi espancado até a morte, por um grupo de cerca de 10 pessoas que chegaram em dois veículos, com placas de Itajaí, o chamaram até o portão e desferiram golpes com madeira, pedras, tijolos e facadas, que acabaram resultado na morte do jovem. Segundo familiares da vítima, ele era usuário de drogas, mas a Polícia Civil está investigando o crime para apurar todos os detalhes e identificar os autores.

Já na madrugada de domingo (22) ocorreu o fato mais cruel, em que o ex-marido de Roseli Calda Costas, de 44 anos, jogou gasolina em seu corpo ateu fogo, que também atingiu o seu filho, de apenas 11 anos, além do próprios suspeito do crime, Carlos Osmar Costa, de 47 anos. Roseli faleceu cerca de 24 horas depois do fato. O casal vivia juntos a 25 anos, e há três, por ela lutava pela separação, conseguindo na justiça uma medida protetiva que ordenou o afastamento de Carlos do lar. O marino não teria aceitado a separação.

 

Foto: Jefferson Santos / Notícias Vale do Itajaí (Arquivo)

error: Conteúdo Protegido !!