Para Ferrari, título mundial da Fórmula 1 em 2017 não é mais sonho

A hegemonia da Mercedes nas pistas da Fórmula 1 pode estar chegando ao fim já que a Ferrari voltou a ser uma das protagonistas, conseguindo a segunda vitória na temporada de 2017, já que Sebastian Vettel venceu o Grande Prêmio do Bahrein que aconteceu neste domingo (16), colocando o alemão na liderança do Mundial com sete pontos a mais que o britânico Lewis Hamilton.

A casa de Maranello mostra que tem as cartas para chegar bem até o fim: um carro perfeito, um piloto impecável, um time de mecânicos confiável e uma estratégia para corridas, finalmente, vencedora. Todos os ingredientes que levaram ao grande triunfo da Ferrari que agora tem um 2 x 1 contra a Mercedes – como não acontecia há anos.

Fotos: Divulgação / LAT Images

 

E que o “cavalinho” tornou-se um osso duro de roer, dá testemunho a própria estratégia da Mercedes que, pela primeira vez em 2017, deu um a ordem de equipe aos seus pilotos, com Valtteri Bottas obrigado a deixar Hamilton para fazer com que ele tentasse alcançar Vettel.

Uma atitude que revela sobretudo uma nova consciência contra um adversário que se mostra difícil para os flechas de prata enquanto, no passado, os alemães deixavam a briga aberta entre o tricampeão mundial e seu então companheiro de equipe, Nico Rosberg.

Já para os italianos, melhor Páscoa não poderia existir, já que não havia a expectativa de vencer duas das três primeiras corridas. Para o alemão, que conquistou sua 44ª vitória na carreira, e para a Ferrari, há a confirmação de que o caminho traçado na Austrália é mais do que certo. A diferença entre as “Vermelhas”, que venceram ontem, e as “Flechas de Prata”, à luz do que se viu, não existe mais. E uma confirmação indireta disso veio do derrotado ontem.

Hamilton recebeu uma punição de cinco segundos recebida por bloquear Daniel Ricciardo, da Red Bull, na entrada dos boxes. Difícil dizer o que teria acontecido se a punição não existisse, mas nada tira o ânimo da Ferrari. Agora, para os líderes da escuderia italiana, é preciso se concentrar já sobre a próxima corrida, que ocorrerá no circuito russo de Sóchi em duas semanas.

 

*Com informações da ANSA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido !!