Covardia ou malandragem?

Em mais um artigo, Ramon Benedett chama a atenção de políticos que nos representam tanto no Executivo, quanto no Legislativo e faz um alerta para você, eleitor:

 

Ninguém gosta de ser desagradável. A velha frase: “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”, na prática, é muito pouco aceita. Ninguém quer ouvir alguém falando mal de você. Agora imaginem pessoas públicas em que a preocupação com a imagem é ainda maior.

Nossos políticos fazem o possível para serem respeitados, admirados e, se possível, reeleitos. Em suas redes sociais estão sempre mostrando suas boas ações, visitas, inaugurações, rezas e homenagens. O que nossos vereadores “esquecem” é de publicar o que interessa, sobre o que andam legislando e fiscalizando.

Essa semana completamos um ano das eleições que elegeram nossos atuais vereadores. O jornal Santa publicou uma reportagem ontem(03/10/17) comparando o que eles prometiam fazer quando da eleição e o que fizeram nesse período. Se fosse eu, teria vergonha de estar no lugar de 90% deles.

Mas o que quero abordar e que percebo estar cada vez pior, é a covardia de nossos políticos. Covardia que não é de hoje, já antiga, mas vem ganhando força. Nossos morros estão apinhados de casas ilegais por covardia. Nossos usuários de ônibus pagando cobrador por covardia. Nossos táxis entre os mais caros do estado por covardia. E talvez teremos uma nova e errada ponte, também por covardia. Aliam-se a essa covardia muitos outros defeitos de carácter além, é claro, dos interesses próprios.

Temas importantes para a cidade carecem de debates enriquecedores. Temas que dividem opiniões, que conflitam interesses, que geram discórdia. Temas difíceis mas que urgem por debates democráticos. E o que recebemos? Votações em estado de urgência, sem debates. Postagens de Facebook vazias e populistas.

Você acha que político pode agradar a todos? É claro que não, embora eles parecem pensar que sim.  

Por que nossos vereadores não se posicionam publicamente sobre Uber ou a nova ponte no centro? Ou melhor ainda, por que não utilizam suas redes sociais para ouvirem seus eleitores sobre esses e outros assuntos?

Nossos políticos estão mais preocupados com as poucas inimizades que podem surgir do que com o fato de estarem fazendo o que é correto. Por isso, o Napoleão e seus antecessores nunca subiram os morros fiscalizando e evacuando as construções ilegais. Por isso, nossos vereadores não se manifestam sobre a nova ponte ou a regulamentação do Uber. Questionei cinco deles pelas redes sociais e obtive resposta de apenas um que disse ainda estar se inteirando sobre o assunto. Covardia ou malandragem?

Políticos que se omitem, que se acovardam, são corresponsáveis e cúmplices dessa política pobre e burra que hoje temos.

 

Ramon Aguiar Benedett

error: Conteúdo Protegido !!