Gestores Públicos?

Confira a coluna de Ramonn Aguiar Benedett, que escreve quinzenalmente ao Notícias Vale do Itajaí:

 

Câmara Federal tentando burocratizar Uber e similares e proibindo as companhias aéreas de cobrar bagagem à parte da passagem. No âmbito municipal governo se omite do importante tema de um transporte público sem cobradores. São provas simples e claras da falta de capacidade administrativa de nossos políticos.

O Uber e demais aplicativos para transporte individual já estão consolidados como uma solução rápida para o problema de desemprego de milhares de brasileiros. E vem se tornando opção para deslocamento de cada vez mais pessoas. Sua eficiência, preço, forma de pagamento, tecnologia e a segurança de não ser enganado em uma corrida maior do que a necessária, são alguns dos diferenciais que vêm consolidando o crescimento exponencial dessas tecnologias. Burocratiza-lo é ir contra a racionalidade, contra a evolução e o pior, contra a população.

Obrigar companhias aéreas a oferecer serviço de transporte de bagagens “gratuito” é interferência excessiva e desnecessária do governo na iniciativa privada. É difícil entender que, como está, todos pagam mesmo não despachando bagagens? É só olharmos para as regiões mundiais com grande tráfego aéreo, todas oferecem essa possibilidade. Esse projeto impossibilita ainda mais qualquer chance de termos futuramente uma companhia realmente low cost, democrática e impulsionadora do turismo nacional e sul- americano.

Quanto ao fim dos cobradores nos ônibus, é algo inevitável e já esperado há tempo. Quem mantém um funcionário sem serviço em sua empresa? Grande parte dos usuários já utilizam cartões pré-pagos e isso precisa ser estimulado ainda mais, sem contar no motorista que exerceria a função do cobrador nos casos necessários, como já acontece em milhares de outras cidades pelo mundo. Fazer com que o usuário arque com essa despesa é algo inaceitável.

Vocês lembram do breve período em que alguns postos de combustíveis implantaram o autoatendimento e baixaram os preços? Nossos governantes também proibiram essa prática aos gestores do ramo e adivinha quem pagou a conta? Todos nós.

Exemplos simples mas que evidenciam a incapacidade de nossos governantes de fomentar o desenvolvimento econômico local e nacional. Paternalismo com o bolso dos outros não dá mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo Protegido !!