Mundo ultrapassa marca de 80 milhões de casos de Covid-19, mas vacinas já estão sendo utilizadas

O mundo ultrapassou a marca de 80 milhões de casos de Covid-19 neste domingo (27), mostra o levantamento feito pela Universidade Johns Hopkins. Até às 11h, são 80.441.307 diagnósticos positivos para a doença e 1.759.604 óbitos em todo o planeta.

Os Estados Unidos continuam liderando em números absolutos tanto em contaminações, com 18.986.236, como em falecimentos, com 331.930.

Em casos, a Índia vem na segunda colocação (10.187.850), Brasil (7.465.806), Rússia (3.019.972) e França (2.608.277).

Já nos óbitos, o Brasil aparece na segunda posição (190.795), seguido por Índia (147.622), México (122.026) e Itália (71.620).

> > Participe do nosso grupo no WhatsApp
>> Curta o Mesorregional no Facebook
>> Siga o Mesorregional no Twitter
>> Entre no canal do Mesorregional no Telegram
>> Acompanhe o Mesorregional no Instagram
>> Inscreva-se em nosso canal do YouTube

Vacina da AstraZeneca deve ser aprovada nesta semana, diz CEO

A vacina contra o coronavírus Sars-CoV-2 desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela farmacêutica AstraZeneca deve ser aprovada “até quinta-feira” (1º/1) pelo Reino Unido, disse o CEO da empresa, Pascal Soriot, em entrevista publicada neste domingo (27) no jornal “The Sunday Times”.

Segundo o representante da AstraZeneca, após as polêmicas nos estudos da fase 3 de testes clínicos, foi encontrada uma “fórmula vencedora” que garante uma eficácia de 95% na prevenção da Covid-19 e de “100% contra formas graves”.

Após os exames da terceira fase, a Oxford e a AstraZeneca informaram que a vacina apresentou eficácias diferentes: de 90% em quem recebeu uma dose e meia da AZD 1222 e de 62% em quem recebeu duas doses completas. Pressionada, a farmacêutica reconheceu que por um erro, um grupo de voluntários recebeu meia dose mais uma dose completa. Por isso, foram realizados exames extras para entender os motivos das diferenças.

O imunizante é muito esperado pela comunidade internacional por ter algumas vantagens em relação aos já aprovados da Pfizer/BioNTech e da Moderna, que utilizam uma nova tecnologia (RNA mensageiro). Entre elas, o transporte e o armazenamento em temperatura normal de geladeiras (2ºC e 8ºC), pela AZD 1222 usar o método tradicional, e o valor bem mais baixo que as tecnológicas, cerca de US$ 4 por dose.

Hungria ‘fura’ União Europeia e inicia vacinação anti-Covid

A Hungria “furou” a orientação da União Europeia e iniciou a vacinação contra o coronavírus Sars-CoV-2 de seus profissionais da saúde neste sábado (26), um dia antes do “Dia V”, repercute a mídia local.

O governo de Budapeste havia se comprometido a iniciar a imunização com a vacina da farmacêutica Pfizer e do laboratório alemão BioNTech conjuntamente aos outros 26 Estados-membros.

As primeiras 9.750 doses da BNT 162b chegaram ao país na manhã deste sábado, assim como em praticamente todos os Estados-membros do bloco.

A ideia do “Dia V” era mostrar a unidade da União Europeia e o comprometimento de todos vacinarem juntos. No entanto, a Hungria vem causando diversos embates dentro do bloco por inúmeras questões – desde a imigração até o veto ao orçamento plurianual e o fundo pós-recuperação.

Foto: Divulgação / Guarda Nacional Aérea dos Estados Unidos

error: Conteúdo Protegido !!