Rojão estoura na mão de jovem em ato em Brasília nesta quarta-feira (24) que resultou em vandalismo

Após a promessa da oposição de que as coisas “não andariam no Congresso” depois das denúncias feitas por executivos da JBS, milhares de manifestantes convocados por centrais sindicais e movimentos de todo o país ligados a esquerda se reuniram nesta quarta-feira (24), em Brasília para protestarem contra as reformas do presidente Michel Temer e pedir convocação de eleições diretas. No meio desses manifestantes, um grupo com de cerca de pessoas usando máscaras no rosto acabou promovendo um quebra-quebra destruindo persianas e vidraças de pelo menos cinco ministérios, entre eles o da Integração Nacional, o do Trabalho e o da Agricultura.

Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil

 

Os atos acabaram ficando marcados pelo confronto entre os protestantes e a Polícia Militar (PM), que precisou utilizar bombas de gás e de efeito moral na tentativa de controlar o vandalismo, inclusive com incêndios provocados por parte dos manifestantes. O clima tenso acabou inclusive provocando a necessidade de evacuação de ministérios e prédios próximos a Esplanada dos Ministérios.

De acordo com o boletim da Secretaria de Segurança do Distrito Federal, 45 mil manifestantes participam do movimento que não perdoou nem mesmo a Catedral Metropolitana, o Museu da República e as bicicletas de uso compartilhado que foram incendiadas. Diversas pessoas foram detidas pelos policiais, a maioria delas por porte de entorpecentes e porte de arma branca. Todos os detidos foram encaminhados ao Departamento de Polícia Especializada (DPE).

Também foram depredados paradas de ônibus, placas de trânsito, orelhões, holofotes que iluminam os letreiros dos ministérios e até banheiros químicos que haviam sido instalados para os próprios manifestantes. Cerca de 50 pessoas ficaram feridas, uma delas com ferimento grave em uma das mãos. Entre os feridos, pelo menos 8 são policiais militares.

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

 

 

Catarinense teve a mão dilacerada

Ainda de acordo com informações repassadas pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, um jovem de 21 anos, natural de Santa Catarina, foi quem acabou perdendo três dedos da mãos. Conforme dados do Hospital de Base de Brasília, a identidade do jovem é Vitor Rodrigues Fregulia, que foi submetido a uma cirurgia.

Ele é estudante do Instituto Federal (IFSC) de Araranguá e foi levado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) com pelo menos outros 15 estudantes do sul de Santa Catarina para a manifestação. Os jornais locais de Brasília afirmam que  Victor teria perdido parte da mão ao acender um rojão para jogar contra policiais. A CUT-SC afirma que ele foi atingido bom “bombas” jogadas pela polícia.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

error: Conteúdo Protegido !!