Santa Catarina foi o segundo estado que mais gerou empregos formais em agosto

O saldo foi positivo em agosto no que tange a geração de empregos em Santa Catarina. Foram 6.130 mil novas vagas criadas com carteira assinada, e o estado ficou em segundo lugar no ranking da geração de emprego em agosto, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgados na tarde desta quinta-feira (21).

O saldo catarinense ficou atrás apenas do resultado do estado mais populoso do país, São Paulo, que registrou uma acessão de 17,3 mil vagas. Em todo o Brasil, o saldo foi de 35,5 mil postos de trabalho gerados com carteira assinada. Os números não consideram ajustes sazonais.

Enquanto as empresas catarinenses registram 80.420 empregados, ocorreram 74.290 desligamentos. Entre os resultados por setores, destacaram-se a indústria de transformação (2.718 vagas), serviços (1.525), comércio (1.062) e construção civil (845). Entre os municípios, os melhores desempenhos do mês foram de Joinville (1.483), Blumenau (531) e Chapecó (466).

Os resultados de agosto demonstram também uma significativa melhora em relação aos anos anteriores. Em agosto de 2016 a geração foi de 3.014 vagas, menos da metade do resultado de agora, e em agosto de 2015 o desempenhou foi negativo, com saldo de -6.925 vagas.

No acumulado deste ano, considerando o resultado de agosto, o saldo catarinense foi de 27.441 vagas nos oito meses, também confirmando uma evolução expressiva em relação ao ano anterior. Nos primeiros oito meses de 2016, o saldo era de -10.481.

>> Curta o Notícias Vale do Itajaí no Facebook
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Twitter
>> Siga o Notícias Vale do Itajaí no Instagram

Uma outra notícia positiva para Santa Catarina foi o resultado do Ranking de Competitividade dos Estados 2017 no qual foi considerado através dos indicadores sociais e econômicos o segundo estado mais competitivo do Brasil e ainda venceu o Prêmio Excelência em Competitividade na categoria Destaque Internacional, por conta da forte presença do estado no mercado externo.

error: Conteúdo Protegido !!