Dois senadores e dois deputados de SC votam contrários ao não aumento para funcionários públicos

Mesmo com o país enfrentando uma pandemia sem precedentes, os senadores Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PL) e os deputados federais Carmen Zanotto (PPS) e Pedro Uczai (PT) votaram contra o veto presidencial, que garantia esse impedimento de possíveis reajustes até o final de 2021 para profissionais de segurança pública, saúde e educação por conta da pandemia de Covid-19. Os quatro foram os únicos parlamentares federais catarinenses contrários ao veto do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Pedro Uczai (PT) Foto: Cléia Viana / Câmara dos Deputados Carmen Zanotto (PPS) Foto: Gustavo Sales / Câmara dos Deputados

Pelo Senado houve a aprovação da rejeição ao veto, o que representaria um impacto de R$ 120 bilhões aos cofres públicos, caso a Câmara Federal também se opusesse ao governo, o que não aconteceu. O congelamento dos salários foi uma contrapartida acertada no pacote de R$ 60 bilhões de ajuda do Governo Federal aos Estados e municípios em relação ao enfrentamento ao novo coronavírus.

Para o trabalhador da rede privada, praticamente não há chances de reajustes, embora também esteja trabalhando frente à pandemia. Além disso, o País contabiliza milhões de desempregados, que estão precisando da ajuda emergencial de 600 reais. 

Foto em destaque: Marcos Oliveira / Agência Senado
(Jorginho Mello (PL) [de pé] conversa com Esperidião Amin (PP) [sentado].

error: Conteúdo Protegido !!