Farmacêutica União Química pede à Anvisa uso emergencial da vacina Sputnik V, da Rússia

A farmacêutica brasileira União Química informou que pediu à ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) o uso emergencial da Sputnik V, a vacina russa contra a Covid-19. O imunizante é produzido pelo Instituto Gamaleya e é o terceiro que passará a ser avaliado pela Agência.

Em nota, a farmacêutica informou que, “conforme entendimentos com o RDIF nesta semana em Moscou (Rússia), serão disponibilizadas para o Brasil, ainda no primeiro trimestre de 2021, 10 milhões de doses da vacina Sputnik V, objeto do referido pedido de uso temporário emergencial do imunizante”.

Segundo a empresa, o imunizante amplamente utilizado e aprovado por vários países no mundo, será produzido nas fábricas de Brasília e de Guarulhos, através de acordo de transferência de tecnologia firmado entre a companhia e o RDIF.

“A União Química entende que com o avanço da pandemia no Brasil e no mundo, todos os esforços, seja do setor público ou do setor privado, deverão ser empenhados de forma a combater a pandemia da covid -19, inclusive com ações extraordinárias e excepcionais em razão da urgência e relevância que o momento exige”, informa a União Química.

Autoridades científicas russas afirmam que a eficácia é de 91%, mas detalhes dos estudos não foram publicados nem revisados por revistas científicas. A Argentina, já recebeu 300 mil doses.

>> Curta o Mesorregional no Facebook
>> Siga o Mesorregional no Twitter
>> Entre no canal do Mesorregional no Telegram
>> Acompanhe o Mesorregional no Instagram
>> Inscreva-se em nosso canal do YouTube

Foto: Divulgação / Casa Rosada

error: Conteúdo Protegido !!