Ex-chefe de segurança espacial de Israel diz que alienígenas existem e que fizeram acordo com os EUA

O ex-chefe de segurança espacial de Israel, Haim Eshed, afirmou recentemente a um jornal israelense que alienígenas existem e que eles têm um acordo com os Estados Unidos. Segundo ele, o caso seria de conhecimento, inclusive, do presidente Donald Trump. “Há um acordo entre o governo dos Estados Unidos e os alienígenas. Eles assinaram um contrato conosco para fazer experimentos aqui”, garantiu, apesar de não apresentar provas.

Eshed é um general aposentado que foi chefe do programa de segurança espacial de Israel por quase 30 anos. Ele descreveu ao jornal israelense Yediot Aharonot a chamada “Federação Galáctica”, que, segundo ele, dirige uma base subterrânea de Marte em um pacto secreto com Washington e que já é conhecida pelos governos dos EUA e de Israel há anos.

De acordo com ele, humanos e alienígenas trabalham juntos em Marte, onde ele afirma haver uma base espacial subterrânea em operação. Lá, humanos e alienígenas estariam trabalhando lado a lado. Ao que os governos e agências espaciais divulgam oficialmente, o planeta vizinho da Terra nunca foi visitado por humanos.

> > Participe do nosso grupo no WhatsApp
>> Curta o Mesorregional no Facebook
>> Siga o Mesorregional no Twitter
>> Entre no canal do Mesorregional no Telegram
>> Acompanhe o Mesorregional no Instagram
>> Inscreva-se em nosso canal do YouTube

Eshed afirma que os alienígenas não querem ser identificados porque a humanidade ainda não está pronta. “Trump estava prestes a revelar a situação, mas os alienígenas da Federação Galáctica estão dizendo ‘espere, deixe as pessoas se acalmarem primeiro’. Eles não querem iniciar uma histeria em massa. Eles querem primeiro nos deixar sãos e compreensivos“, disse em entrevista publicada nesta terça-feira (8). “Eles têm esperado até hoje que a humanidade se desenvolva e chegue a um estágio em que possamos entender, em geral, o que é espaço e nave espacial”, completou.

Ao ser questionado sobre porque guardou o segredo durante tanto tempo, já que permaneceu entre 1981 e 2010 no governo de Israel, Eshed respondeu: “se tivesse aparecido para contar o que disse agora há cinco anos, teria sido hospitalizado”. Segundo ele, a mentalidade atual sobre o assunto é diferente. “Eu não tenho nada a perder. Tenho minhas graduações e prêmios e sou respeitado em universidades no exterior”, finalizou.


Imagem: Divulgação / Nasa

error: Conteúdo Protegido !!